“CONVERGÊNCIAS”

Exposição coletiva “CONVERGÊNCIAS”, apresentada pela Coleção NIMBA ART GALLERY e o artista plástico SIDNEY CERQUEIRA.

Esta exposição coletiva congrega um conjunto de artistas plásticos afro-lusófona e latino americano, representados pela coleção Nimba Art Gallery e obras do artista plástico guineense Sidney Cerqueira.

Será alusivo ao mês de setembro, com o duplo objetivo: representar a celebração da independência da Guiné-Bissau e Cabo-Verde; e a data comemorativa do lançamento do Diálogo entre os Povos Africanos e Latino-Americanos. É importante estimular a cooperação e a solidariedade entre as sociedades civis destes continentes e Portugal, centrado no desafio de construir uma proposta estratégica de integração regional entre os países, baseada no diálogo entre os povos, sendo aqui a arte uma ponte que representa este espírito e convergência das nações que cada artista aqui representa. O palco de exposição é a Cidade do Entroncamento, um concelho que resulta do seu próprio nome e que é uma “CONVERGÊNCIA” de várias culturas, identidades, cidades e nações, que pela sua fantástica inserção geoestratégica faz ligações entre vários povos e lugares.

Aristas plásticos presentes:

SIDNEY CERQUEIRA, ou simplesmente Sidney Cerqueira é um pintor de artes visuais da Guiné-Bissau nascido em Lisboa a 16 de dezembro de 1980. Sendo filho de pais guineenses, foi levado para a cidade de Bissau na Guiné-Bissau, onde viveu até aos 20 anos, altura em que se mudou para Portugal para terminar o ensino secundário, onde vive desde o ano 2000. Começou a sua incursão nas artes visuais em Lisboa por volta de 2004, e desde então tem vindo a seduzir o mundo das artes com as suas pinturas. Depois de experimentar várias técnicas, desde carvão, a óleos sobre tela, Sidney é hoje o único pintor de artes plásticas das antigas colónias de língua portuguesa que cria o “Realismo Espontâneo”, um estilo criado pelo Voka. As telas de Sidney não são apenas marcadas por cores marcantes e um incrível domínio de técnicas usando combinações de pinceladas e espátulas, mas também chamam a atenção para temas socioculturais controversos, como violência doméstica e abuso infantil, para citar alguns. Os mais destacados incluem “Dak’art 2014” no Senegal, “Galeria Teatro Municipal da Guarda” em Portugal, “LuxExpo 2014” no Luxemburgo, “Camera Legislativa do Distrito Federal” em Brasília, capital do Brasil, “Vera World Fine Art Festival” em Lisboa, Liquid Art House, Boston, EUA Thermes Marins, Mónaco e Gallery at the Piano factory, Boston, EUA.

AIRES MELO, natural da Ilha da Boavista, Cabo-Verde. Desde muito pequeno teve interesse pela arte de desenhar, o lápis e o papel tornaram-se os melhores amigos dele. É autodidata, frequentou atelieres e curso de design e multimédia na ESART em Castelo Branco, Portugal. Trabalha como artista e ilustrador, tenta criar sempre algo novo e interessante em cada obra que realiza. É apaixonado pelo carvão, grafite e pelo equilíbrio entre as escalas de cinzas entre o branco e o preto. A arte motiva-o a fazer sempre mais e melhor e por isso indissociáveis.

IRLEY BARBOSA RIVERA, nascida a 14 de novembro de 1980 em Bissau, é uma artista plástica contemporânea guineense e portuguesa com dom artístico desde criança. Começou a desenvolver a sua arte de forma autodidata em 2005, realizando e participando em exposições e eventos artísticos em Portugal, Guiné-Bissau, Tunísia e Costa do Marfim. Inicialmente pintava para decorar a sua casa e dar de presente aos familiares e amigos. Foi em 2014 que tornou a sua atividade artística profissional. Ela exprime-se através da arte contemporânea africana, explorando temas como a identidade cultural, símbolos, objetos, riqueza natural e as paisagens do continente, retrata igualmente a condição da mulher africana. A sua arte é figurativa e abstrata, o seu estilo é composto de uma estética colorida e alegre e a sua técnica associa sempre a pintura acrílica e a colagem de materiais recuperados, concretamente a rica variedade do pano africano que traduz a alma da Africa o “legóss”. Irley viveu 5 anos na Tunísia e reside atualmente na Costa do Marfim onde criou em 2016 o Estúdio/Galeria de arte “Harmony” no qual expõe de forma permanente as suas obras e também trabalhos de outros artistas locais como forma de incentiva-los e igualmente de aglomerar e promover a arte africana. A artista acredita que promover a arte africana é contribuir para a promoção da Africa e da preservação da sua identidade cultural.

YUNIEL DELGADO CASTILLO, é graduado pela Academia de Belas Artes San Alejandro, Havana, Cuba, 2011, Reside atualmente em Espanha, Madrid. É um artista plástico que explorou diferentes suportes e técnicas, como gravura, escultura, instalação, pintura e desenho, e até se aventurou também no design. Concentra-se em grandes formatos de tela, murais pictóricos e de instalação, além de grandes esculturas ambientais e peças escultóricas para interiores. A sua obra é considerada, em linhas gerais, expressionista, devido à marcada influência do referido movimento artístico e de algumas de suas figuras, cubanas e internacionais. Yuniel Delgado também foi indicado para o programa de bolsas e comissões da Cisneros Fontanals Art Foundation (CIFO) em Miami. Também foi premiado com programas de residência e exposições coletivas em Napoly, Itália, em 2016, no Pam Museum; e em Chopehenaghen, Dinamarca, em 2019. Além disso, ele lecionou sobre sua arte na Roberson Art Gallery da Pennsylvania State University. Participou de leilões e feiras de arte como as de Florença e Dinamarca. Colecionadores particulares de diferentes países se interessaram por seu trabalho, tanto pelo que produziu em Cuba como no exterior. Nesse sentido, as suas peças fazem parte de coleções particulares na Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Itália, Espanha, Rússia, Portugal, Luxemburgo, Costa Rica e em outros países da Europa, Ásia e América Latina.

TUTU SOUSA, a artista plástico cabo-verdiano, nasceu em São Vicente e desde os dois anos de idade vive na Cidade da Praia. Tutu Sousa começou a desenhar e a pintar desde muito cedo e hoje tem no seu curriculum várias exposições individuais e coletivas realizadas tanto no país como no estrangeiro. Cada quadro representa um tema musical, um estilo e algo que tem a ver com a cultura cabo-verdiana. Por exemplo, quadro onde mostra a morna Sodad, também serenata, noites de morna, tabanca, etc… tudo temas relacionados com a música e a cultura cabo-verdiana”. No percurso do artista constam várias exposições individuais e coletivas em várias ilhas e em alguns países da Europa, Estados Unidos, Dubai e China, para além da realização de dezenas de pinturas de murais decorativos no Aeroporto Nelson Mandela, na Cidade da Praia, e no Aeroporto Amílcar Cabral, na ilha do Sal. Em 2015 recebeu da Câmara Municipal da Praia uma medalha de reconhecimento pelo seu trabalho de embelezamento com obras de Street Art na capital. No mesmo ano, foi nomeado Artista do Ano na Gala Marca de Confiança dos Cabo-verdianos. Tutu Sousa venceu no ano passado (2018), o prémio Homem do Ano, na IV edição do Somos Cabo Verde.

Exposição coletiva “CONVERGÊNCIAS”, apresentada pela Coleção NIMBA ART GALLERY e o artista plástico SIDNEY CERQUEIRA na Galeria Municipal do Entroncamento.

Inauguração dia 24 de setembro | sábado | 17H00

Pinturas dos artistas plásticos presentes: Sidney Cerqueira, Tutu Sousa, Irley Barbosa Rivera, Yuniel Delgado Castillo e Aires Melo.

Nimba Art Gallery, a arte no seu esplendor.

#enimba

#nimbedições

#nimbartgallery

#marcadornimba

#passaportedeartenimba

As obras encontram-se disponíveis na Nimba store: www.enimba.com e www.nimbartgallery.com

Publicado por

A Nimba tem como missão promover as obras de artistas plásticos, escultores e escritores nos mercados internacional e nacional. Por outro lado, proceder a representação de artistas plásticos consagrados. A Nimba continua na missão de estabelecer uma colaboração duradoura com cada artista, escultor e escritor, criando condições para que os mesmos se sintam enquadrados neste projeto empresarial. A Nimba privilegia cultura de trabalho, fomenta a inovação e criatividade. Os artistas plásticos, escultores e escritores que integram a rede Nimba partilham uma visão de trabalho, rigor, foco e determinação.